As Ricas Horas do Duque de Berry

As Ricas Horas do Duque de Berry
As Ricas Horas do Duque de Berry. Produção dos irmãos Limbourg - séc. XV. Mês de setembro

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Uma homenagem aos manifestantes de São Paulo

Dentro de uma democracia existem espaços para controvérsias e discussões, onde argumentos se contrapõem, mas sempre deve haver o respeito.

Quando em nome da ordem, usa-se a força e tenta-se calar o clamor da sociedade, não há melhor caminho que o protesto!

Não precisamos perder a liberdade para lutar por ela!

Aos paulistanos que tem buscado um espaço mais amplo para uma sociedade melhor.


Para dizer que não falei de flores
Geraldo Vandré, 1968


Caminhando e cantando e seguindo a canção

Somos todos iguais, braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Caminhando e cantando e seguindo a canção



[Refrão] :
Vem, vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora não espera acontecer



Pelos campos a fome em grandes plantações
Pelas ruas marchando indecisos cordões
ainda fazem da flor seu mais forte refrão
e acreditam nas flores vencendo o canhão



REFRÃO


Há soldados armados, amados ou não
Quase todos perdidos de armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam a antiga lição
de morrer pela pátria e viver sem razão



REFRÃO


Nas escolas, nas ruas, campos construções 
Somos todos soldados armados ou não 
Caminhando e cantando e seguindo a canção 
Somos todos iguais, braços dados ou não 



Os amores na mente, as flores no chão
A certeza na frente, a história na mão
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Aprendendo e ensinando uma nova lição

Ver link: http://letras.mus.br/geraldo-vandre/46168/

Um comentário: